• Investidor Sem Grife

Curva de Juros: o que é e como interpretar

O que são os juros?

Antes de entender como funciona a curva de juros, precisamos saber o que são os juros. Uma definição curta e rápida seria: os juros são o preço do dinheiro ao longo do tempo. Podemos dizer que os juros são o “aluguel” por você está pegando emprestado um dinheiro que não é seu. Ao pegar uma quantia emprestado, na hora do pagamento, você deve pagar esse mesmo valor, mais uma quantia extra. Esse valor extra que foi pago, são os juros. Quem empresta o dinheiro poderia estar investindo em um outro negócio ou aplicando na bolsa de valores e recebendo um valor maior do que o investido inicialmente e corre também o risco de não receber o dinheiro de volta. Por isso os juros são cobrados.

Juros é custo do dinheiro.

Agora você pode estar se perguntando quem define essa taxa de juros. A princípio, as partes envolvidas na transação podem acordar qualquer taxa de juros que elas queiram, mas existe uma taxa chamada SELIC, que é a taxa base da economia, que serve como parâmetro para as operações financeiras que ocorrem no mercado. A SELIC é a taxa a qual um banco empresta dinheiro para o outro nas suas operações diárias para que o mercado tenha liquidez. Por exemplo, em um dia qualquer, muitas pessoas solicitam resgates e saques ao Itaú, que não tem esse dinheiro em caixa para entregar aos seus clientes.


Nesse momento, o Itaú procura o Santander, e pega um empréstimo que será pago no dia seguinte, para que ele não tenha problemas de liquidez. A taxa deste empréstimo é a SELIC e ela é definida pelo banco central nas reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária), através de intervenções neste mercado diário de empréstimo entre os bancos. Caso o BACEN (Banco Central) queira abaixar a taxa de juros, ele passa a emprestar dinheiro aos bancos a uma taxa mais baixa e caso ele queira aumentar a taxa de juros, ele passa a pegar empréstimos a uma taxa mais alta.


A taxa de juros é um importante mecanismo utilizado pelo BACEN para controlar a economia. Uma redução na taxa de juros pode incentivar a economia através do aumento no consumo e nos investimentos, e um aumento nessa taxa pode reduzir estes dois fatores para controlar a inflação.


A curva

Antes de entender a curva, precisamos saber que os juros assumem valores diferentes ao longo do tempo. Isso ocorre porque para um investimento feito hoje quanto maior for seu prazo, maior tende a ser o risco destes investimentos já que as incertezas no longo prazo são maiores. Além disso, os juros futuros no longo prazo refletem as expectativas do mercado acerca das decisões do COPOM sobre a taxa de juros básica da economia (SELIC) enquanto os juros de curto prazo são os que foram definidos pelo BACEN.


Então, a curva de juros nada mais é do que uma linha na qual cada ponto representa os juros que estão sendo pago para um investimento com vencimento em algum dia no futuro. Todo dia temos uma curva de juros diferente já que as expectativas do mercado acerca da economia se ajustam diariamente.


Formatos

Existem basicamente 4 formatos para uma curva de juros:

Normal: A curva normal reflete uma situação em que com o aumento do vencimento do produto financeiro, a taxa de juros passa a ser maior devido aos riscos de se investir no longo prazo e a exigência dos investidores por uma remuneração maior para investimentos mais longos.


Gráfico curva de juros normal.

·Invertida: A curva invertida ocorre quando há uma expectativa por parte do mercado de cortes na taxa de juros no curto prazo por parte da autoridade monetária, provavelmente com o intuito de estimular a economia. Com isso, mesmo as taxas pré-fixadas já são precificadas com um valor a abaixo da que está sendo praticada na economia naquele momento.

Gráfico curva de juros invertida.

Arqueada: Quando a curva de juros é arqueada, há uma expectativa de um aumento na taxa de juros no curto prazo, para conter a inflação por exemplo, mas também se espera que no longo prazo a taxa volte a cair para os níveis anteriores.


Gráfico curva de juros arqueada.

· Plana: Nesse caso, a curva plana indica um cenário no qual não há expectativa de mudança na taxa de juros, e não há também o risco de se investir no longo prazo.

Gráfico curva de juros plana.

Exemplo Prático

O que aconteceu com a curva de juros brasileira durante o Coronavírus, foi um descolamento da ponta longa da curva, já que neste momento de incertezas as pessoas prezam por liquidez e se torna mais arriscado investimentos de longo prazo, que passam a valer a pena, apenas diante de um retorno maior (taxas de juros mais altas).

Curva de juros exemplo prático.

Esse gráfico nos mostra as curvas de DI futuro (aproximação para a curva de juros) em diferentes momentos ao longo do tempo. A curva vermelha é do dia 10/06/2017, e o mercado esperava uma redução da taxa de juros no curto prazo devido a recessão que país enfrentava e logo depois um aumento dessa taxa. A curva azul, do dia 19/02/2020 representava a nova realidade da economia brasileira após a eleição do presidente Bolsonaro com medidas fiscais e reforma da previdência que possibilitavam taxas de juros mais baixas mesmo no longo prazo. As curvas verde e laranja são de março de 2020, após o estouro da crise do Coronavírus.


Podemos observar uma redução das taxas de juros no curto prazo, refletindo as medidas do banco central para estimular a economia mas um aumento das taxas no longo prazo como reflexo do aumento do risco de se investir em títulos do governo no longo prazo, devido ao aumento do endividamento do governo na tentativa de conter as consequências da crise com estímulos financeiros


Conclusão:

Podemos perceber que investimentos de renda fixa que são remunerados por uma taxa de juros do mercado, pode não ser tão fixo e previsível assim. Inclusive, muitas pessoas fazem dinheiro com a arbitragem da taxa de juros, comprando os títulos em momentos em que sua remuneração é maior, em momentos de mais risco no mercado, e vendendo em momentos de menor remuneração devido as certezas presentes no mercado. A curva de juros é importante não só para pensar nos nossos investimentos e saber como eles serão remunerados no futuro, mas ela também contém implicitamente muitas informações sobre qual é a expectativa do mercado para determinado país.

Ajudou? Se sim, segue lá no Instagram e se inscreve no canal do Youtube para ficar atualizado de todas as novidade do Investidor Sem Grife!