• Investidor Sem Grife

EBITDA: o que é e como analisar

Explicando o EBITDA

Análise de Indicadores

O EBITDA é na verdade uma sigla em inglês que significa Earnings before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization.


Em Português, seria o LAJIDA ou Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização.


Glossário do EBITDA

Juros: O custo do dinheiro. O banco que empresta dinheiro para uma empresa, não vai receber de volta apenas o montante emprestado mas sim o montante emprestado acrescido de uma taxa, que é o juros.

Depreciação: vamos supor que sua empresa precisa comprar um computador. Como todos sabemos, o computador ao longo do tempo tende a perder valor, ou seja, ele tende a se depreciar. Teoricamente, a empresa uma hora ou outra vai ter que trocar esse computador, por isso, ela vai provisionando valores anuais para quando o computador valer 0 (ou próximo disso, ainda existe o valor residual) a empresa tenha condições de pagar por um novo computador.


Amortização: segue a mesma ideia da depreciação entretanto para ativos intangíveis.


Perfeito, mas o que isso significa?

DRE Resumida

O EBITDA é uma aproximação de quanto a empresa gera de caixa operacional.


O EBITDA basicamente é calculado pegando a receita e extraindo todos os custos, que são os desembolsos diretamente relacionados com o produto produzido, como por exemplo, matéria prima.


E extraindo também todas as Despesas, que são desembolsos que não tem relação direta com a produção do produto, como por exemplo, aluguel do espaço administrativo e despesas com equipe de vendas e marketing.


Dentro dessas contas, também estão considerados a Depreciação e a Amortização, por isso soma-se essas duas contas ao EBIT para chegarmos ao EBITDA.


Desconsideram-se a Depreciação e a Amortização basicamente porque elas nãos representam uma diminuição efetiva do caixa da empresa.


Exemplo: por mais que os computadores da empresa vão se desvalorizando com o tempo e isso vai sendo provisionado nos balanços, o desembolso real para comprar novos computadores só se dá após todo o período de depreciação.


A mesma ideia vale para a Amortização, que é o planejamento da redução do valor de um ativo intangível de duração pré-estabelecida.


Porque o EBITDA não é a Geração de Caixa então?

Uma dúvida bem normal é a seguinte: se você já retirou tudo que saiu da operação da empresa sejam os desembolsos relativos a vendas, a produção, ao marketing, aos investimentos em novas lojas, por exemplo, porque o EBITDA não é a geração de caixa real então?


É simples, nem todo o valor que uma empresa vende, é recebido imediatamente após a venda. Nem todo mundo paga a vista não é mesmo? Dessa forma, nem sempre o EBITDA daquele momento vai ser o que entrou no caixa da empresa.


Por isso, falamos que o EBITDA é uma aproximação da Geração de Caixa Operacional da empresa.

O EBITDA Na Prática

Pontos Positivos do EBITDA:

1) Ajuda na hora de analisar o grau de cobertura das despesas financeiras, mostrando se o potencial operacional é suficiente para remunerar credores.


Muito por isso, o múltiplo Dívida Líquida/ Ebitda é utilizado.


2) É possível se ter uma ideia operacional da empresa e fazer uma comparação intra-setorial.


3) É um indicador que mede eficiência operacional, principalmente se comparado pela Margem. (EBITDA/RECEITA TOTAL)


4) Possibilita ajustar perspectivas de Fluxo de Caixa usando de base exercícios passados.


Pontos Negativos do EBITDA:

1) O EBITDA não é usado na análise de empresas do setor bancário já que sua principal atividade operacional é a financeira.


2) O EBITDA é muito mais eficaz se aliado a outros conceito e ideias. Por exemplo, o EBITDA é utilizado como uma das partes de diversos múltiplos que por sua vez, é uma das forma de se fazer Valuation.


3) Por desconsiderar as despesas financeiras, o EBITDA pode ser uma forma ruim de analisar empresas altamente alavancadas (endividadas) uma vez que ele pode omitir grandes prejuízos líquidos.


EBITDA em uma DRE


Mas como o EBITDA vem colocado nas empresas listadas em bolsa?


Ele vem no Demonstrativo de Resultados da empresa.


Veja abaixo o exemplo da Demonstração de Resultados de Via Varejo (dona de Casa Bahia e Ponto frio) no relativo ao 4° Trimestre de 2019. Nele, a gente consegue perceber a formação do EBITDA em uma empresa listada. Nesse demonstrativo, podemos perceber algumas contas a mais do que relatado anteriormente mas perceba que a ideia principal é a mesma.


Têm-se primeiramente a Receita Bruta, posteriormente a Receita Líquida, e o abatimento dos Custos de Produtos Vendidos que no caso está como CMV ou Custo de Mercadorias Vendidas.


Nesse momento, chega-se ao Lucro Bruto e depois de subtraído do Lucro Bruto as Despesas Gerais, com Vendas e Administrativas, chega-se, agora, ao EBIT.


Do EBIT, soma-se a Depreciação e Amortização e tem-se finalmente, o EBITDA.


Demonstrativo de Resultados da empresa Via Varejo, mostrando o EBIT e o EBITDA de forma prática.

EBITDA Ajustado

Vale também falar brevemente de algo que vocês com certeza vão se deparar ao analisarem balanços: O Ebitda ajustado.


Apesar de que no início desse século a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) definiu regras para o cálculo do Ebitda com o objetivo de padronizar esse cálculo e para aumentar a transparência nos balanços.


Entretanto, algumas empresas além de mostrarem o Ebitda, também apresentam aos investidores o Ebitda Ajustado, que não possuí um cálculo pré-definido como o Ebitda mas necessita de apresentação dos motivos que levaram a empresa a fazer esse cálculo e mostrar o método que foi utilizado para a empresa chegar nesse números.


Conclusão

O EBITDA é bastante importante para conseguir uma estimativa da capacidade operacional/ de geração de caixa proveniente da operação. Entretanto, como o próprio nome diz, o indicador EBITDA desconsidera alguns componentes do Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE) e por isso, não pode, de forma alguma ser o único indicador a ser analisado da DRE.


Além disso, podemos falar que o EBITDA utilizado com outros indicadores pode ser mais eficaz e mais completo na hora de analisar a operação no relativo a outros fatores da empresa.


Por fim, o EBITDA deve sim ser analisado, é um dos indicadores mais utilizados por analistas mas você precisa entender o restante da empresa antes de investir e principalmente saber realmente interpretar o indicador.


Ajudou? Se sim, segue lá no Instagram e se inscreve no canal do Youtube para ficar atualizado de todas as novidade do Investidor Sem Grife!