• Investidor Sem Grife

Leilões na Bolsa de Valores: o que são e como funcionam?

Como Funcionam os Leilões na Bolsa de Valores ?


Existem basicamente 3 momentos de leilão no mercado de ações brasileiro. Na abertura e no fechamento do mercado, que sempre acontecem, e esporadicamente no meio do pregão. Neste texto, vou explicar quais os motivos para esses leilões acontecerem e as regras que o cercam. Mas antes, é preciso saber como as ações são precificadas em um leilão, e isto vale para todos eles.


Como ocorre a Precificação no Leilões da Bolsa de Valores


As ofertas que são colocadas durante o tempo do leilão não são executadas no momento em que ela encontra outra ordem no mesmo preço.


O sistema da B3 vai coletando as informações dessas ordens e ajustando em um preço médio. Vamos a um exemplo: depois de colocadas várias ordens de LOGG3, chegou-se no preço médio de R$27,50. Ao final do leilão, não serão executadas apenas as ordens colocadas com esse preço. Qualquer ordem de compra acima de R$27,50 pode ser executada, tendo como limite superior, o preço colocado na ordem. Já para as ordens de venda, qualquer uma com o preço abaixo de R$27,50 também pode ser executada, respeitando o limite mínimo que é o preço colocado na ordem.

Imagem de um Home Broker

Leilão de abertura:

O leilão de abertura ocorre todos os dias e começa 15 minutos antes de o mercado abrir mas caso haja alguma alteração no preço no minuto final, o leilão é prorrogado até que o preço não se altere por 1 minuto. Ele serve basicamente para que os players do mercado ajustem suas expectativas com informações que eles receberam durante o período em que o mercado estava fechado. Pode ser por exemplo, um fato relevante ou alguma notícia macroeconômica que vá afetar a empresa.


Leilão de fechamento:

O leilão de fechamento ocorre todos os dias e começa 5 minutos antes de o mercado fechar e assim como no leilão de abertura, ele pode ser prorrogado devido a alterações no preço nos momentos finais do leilão. Ele serve basicamente para que os players do mercado ajustem suas posições. Para algumas operações, as pessoas usam uma margem na corretora e compram ações sem de fato ter o dinheiro para ficar apenas com o spread gerado nas operações de compra e venda. É nesse momento de leilão que estas pessoas vendem as ações que compraram com a margem disponibilizada pela corretora para não pagarem multa. Além disso, também serve para que compradores comprem ações por acreditar que elas vão valorizar já no leilão de abertura do dia seguinte. Desse leilão só participam ações que estão listadas em algum índice da bolsa.


Outros leilões:

Circuit breaker: após um circuit breaker todas as ações voltam da bolsa a ser negociadas em leilão de modo que os preços das ações se ajustem as novas visões dos investidores depois que eles ‘esfriaram a cabeça”.


Grandes variações: ocorre quando uma ação varia 10% para cima ou para baixo em um mesmo dia. É também um mecanismo para que os players façam uma reflexão se uma variação tão expressiva realmente faz sentido.


Variações relevantes em um curto espaço de tempo: se uma ação variar 3% em questões de segundos, ela entrará em leilão. Isso ocorre porque é muito provável que uma variação desse tipo ocorra devido a um erro humano na hora de colocar uma ordem, por exemplo colocar uma ação a venda por R$1,00 ao invés de R$10,00, ou porque alguém está tentando manipular o mercado.


Curiosidades Sobre os Leilões na Bolsa de Valores


Estes leilões, principalmente os de abertura e fechamento, em média, representam de 10% a 15% das movimentações diárias de uma ação, o que explicita a importância deles para o mercado e para a formação de preços das ações.


O leilão mais raro de todos ocorre quando uma ação sem liquidez que não é negociada a mais de 5 pregões fecha uma negociação. Os motivos para isso não são muito claros.


Ajudou? Se sim segue la no Instagram para ficar atualizado de todas as novidade do Investidor Sem Grife!