• Investidor Sem Grife

Mercado de Capitais: O que é e como funciona


O Mercado Financeiro

Primeiramente é importante falar que o Mercado de Capitais está dentro do Mercado Financeiro.

O Mercado Financeiro é subdivido em quatro partes: o Mercado de Capitais, o Mercado Monetário, o Mercado de Crédito e o Mercado de Câmbio.


O Mercado de Capitais

O Mercado de Capitais é onde ocorrem negociação de títulos de valores mobiliários. É nesse mercado, que diversas empresas utilizam para obtenção de recursos, seja emitindo títulos da dívida ou trocando participação das empresas por capital para investimentos visando o longo prazo.

Bolsa de Valores, parte ativa do mercado de capitais.

Dentro do Mercado de Capitais, existe o mercado acionário, nele são negociadas participações em empresas listadas em dois segmentos: o mercado primário e o secundário. No primário, existem a transferência direta de recursos para a empresa que foi ao mercado. Sendo assim, os investidores compram participação diretamente da empresa, que por sua vez, reinveste esse capital. O secundário é a negociação de ações entre investidores, sem que haja transferência direta para a empresa.


  • Exemplo de Mercado Primário: uma empresa pretende expandir seus negócios mas não quer se alavancar mais, dessa forma ela decide abrir o capital dela. Assim, consegue captar recursos.


  • Exemplo de Mercado Secundário: Joelington tem ações da Ambev compradas no mercado primário, ou seja, comprou diretamente da Ambev e opta por vende-las para um terceiro no mercado secundário.

Lembrando que isso tudo ocorre dentro do chamado Mercado de Capitais.


Os Outros Mercados

O Mercado Monetário é aquele que faz financiamentos de curto prazo lastreados em títulos públicos ou em certificado de depósitos tais como o CDB e o CDI.


O Mercado Cambial, como o próprio nome diz é o mercado que envolve negociações de moedas estrangeiras. Atualmente o Brasil atua sobre o regime de taxa de cambio flutuante que funciona de acordo com a lei da oferta e da demanda.


O Mercado de Crédito que visa sanar necessidades de curto e médio prazo de empresas e pessoas. Vale citar que os agentes que concedem empréstimos devem analisar os riscos de crédito como por exemplo, a inadimplência. Além disso, o Banco Central, determina o Índice de Basileia (ou liquidez) mínimo que os Bancos devem ter e a Central de Risco de Crédito (CRC), que diz respeito a diversas questões relacionadas ao risco de instituições financeiras e do sistema financeiro.


Ajudou? Se sim, segue lá no Instagram e se inscreve no canal do Youtube para ficar atualizado de todas as novidade do Investidor Sem Grife!