• Investidor Sem Grife

Liquidez: o que é e como funciona

Em termos financeiros e econômicos, definir liquidez é uma tarefa relativamente fácil.


Liquidez é a capacidade de um detentor de um ativo transforma-lo em dinheiro.


Então, vamos aos exemplos:


O que é mais líquido, um imóvel ou um título público?

Certamente um título público possui mais liquidez que um imóvel uma vez que é mais fácil vender um título publico e assim ter o dinheiro em mãos do que vender um imóvel.


Prédios se perdendo no meio das nuvens como objetivo de fazer uma alusão à liquidez de um ativo.

O Risco da Liquidez


A Liquidez pode ser entendida como risco a partir do momento que o detentor de um ativo quer vende-lo mas não encontra compradores pelo preço desejado.


Exemplo: um detentor de ações de uma microcap com pouca movimentação diária de ações.


Dessa forma, a tendência natural é que o ofertante abaixe os preços requeridos a fim de transformar aquele ativo em dinheiro.



É óbvio que existem algumas maneira de se resguardar de outros tipos de risco, como por exemplo a diversificação.


Liquidez e o Risco/Retorno


Já que liquidez pode representar um risco as suas finanças, quanto mais longa é uma aplicação (menor Liquidez), quem aporta deve desejar um retorno maior uma vez que ele está correndo mais risco.


Exemplo: um CDB com carência de um ano (só da para resgatar dps de um ano) para ser atrativo ao investidor deve remunerar melhor do que um CDB de liquidez imediata.


Quais produtos financeiros tem mais liquidez?


A poupança: tem como umas das únicas qualidades positivas, a liquidez. A qualquer momento você pode sacar seu dinheiro aplicado em poupança e utiliza-lo para outro fim.


Os títulos públicos: também tem bastante liquidez, entretanto, é importante que você observe qual produto você está adquirindo pois mesmo tendo liquidez, você pode acabar perdendo dinheiro se resgatar no momento errado um titulo pré fixado, por exemplo.


Imóveis: baixa liquidez, não de uma hora para outra que você vende um imóvel, transformando esse ativo em dinheiro. Entretanto, uma das maneiras de você conseguir vender um imóvel em uma necessidade extrema é abaixando drasticamente seu preço. Dessa forma, você tende a conseguir demanda. Quando é necessário abaixar muito o preço de um ativo a fim de vende-lo, esse ativo possui baixa liquidez.


Fundos de investimento: vai variar de fundo para fundo. Cada fundo define sua cota de resgate, mas dificilmente vemos uma cota de resgate maior que D+30 (dia úteis). Entretanto, assim como em um título público pré-fixado, você pode resgatar perdendo dinheiro dependendo do momento do resgate. Vale lembrar que fundos de investimentos costumam visar o mais longo prazo para superarem os seus respectivos benchmarks.


Ações: nesse caso vai depender bastante de qual ação você tem e qual é o valor aplicado nessas ações. As ações que fazem parte da carteira teórica do Ibovespa, têm bastante liquidez e esse não deve ser o motivo de preocupação dos investidores. Já as Small Caps e as Microcaps podem apresentar menos liquidez e por isso devem chamar atenção ao investidor para pesquisar o volume de negociação dessas ações para saber sua liquidez antes de investir.



Conclusão


Dessa forma, com o que foi abordado no texto, devemos ter a consciência na hora de investir nosso dinheiro pois um investimento em um ativo ilíquido pode ter como consequência uma perda de dinheiro considerável.


Assim, ao analisar um investimento, coloque na sua perspectiva o risco de liquidez. E só invista em ativos ilíquidos caso você compreenda que não vai precisar desse dinheiro no curto prazo. Lembre-se, quanto maior a possibilidade de retorno maior o risco. Além disso, lembre-se do seu perfil como investidor, o quanto de risco você está disposto a tomar? você aguenta ver o seu dinheiro "preso"em algum ativo? Sempre responda a essas pergunta antes de Investir!!




Ajudou? Se sim, segue lá no Instagram e se inscreve no canal do Youtube para ficar atualizado de todas as novidade do Investidor Sem Grife!